IF Goiano lança 3ª edição do Atlas da Agricultura Familiar

Por Tiago Gebrim
Fotos: Tiago Gebrim

 

Anunciado desde o início deste ano de 2022, a aguardada 3ª edição do Atlas da Agricultura Familiar foi lançada nesta sexta-feira, 20 de maio, pelo Instituto Federal Goiano (IF Goiano). A solenidade, descontraída e cheia de sorteios, ocorreu no palco aberto da 19ª Agro Centro-Oeste Familiar, junto a parceiros que contribuíram no estudo apresentado no Atlas e no próprio evento.

Com uma diagramação convidativa à leitura, o Atlas tem a função de apresentar de maneira direta como os agricultores familiares estão distribuídos nos 246 municípios do estado de Goiás. A publicação é resultado de uma parceria institucional entre o Instituto Federal Goiano (IF Goiano), a Universidade Federal de Goiás (UFG), o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Universidade de Brasília (UnB).

São ao todo 15 mapas da distribuição dos agricultores familiares no estado, segmentados nas seguintes categorias: Aspectos sociaisComercializaçãoAcesso às políticas públicas, e Sustentabilidade. As informações retratam as iniciativas dos agricultores familiares para produzir alimentos e gerar emprego e renda no campo, as formas de organização, as práticas produtivas e a contribuição dos serviços ambientais para a produção. Revelam, também, a abrangência das políticas públicas implementadas em favor da categoria.

Para o lançamento da publicação estiveram reunidos representantes das quatro instituições parceiras (IF Goiano, Incra, UnB e UFG), além das federações de trabalhadores da Agricultura Familiar Fetraf/GO e Fetaeg. Junto ao Atlas, que é disponibilizado gratuitamente em versão digital, houve lançamento e distribuição do Calendário da Agricultura Familiar, que, em suas páginas, traz informações e mapas publicados no Atlas.

As seções do Atlas foram apresentadas por Marcelo Gosh, do Incra, que explicou os dados representados em cada mapa. Em sua fala, ele enalteceu a parceria entre as instituições, a qual permite pesquisar e trazer a tona esses dados, que são disponibilizados gratuitamente. “Esse Atlas tem uma função importante para contribuir no fomento de políticas públicas para a Agricultura Familiar”, afirmou.

A secretária geral da Fetaeg, Sandra de Faria, trouxe em sua fala uma preocupação quanto à realidade atual vivida pelos produtores. “Eu tenho medo do que esse mapa irá nos mostrar ano que vem… com o preço do combustível, o preço dos insumos, a mão de obra, eu não sei como a Agricultura Familiar vai se manter produzindo nos próximos anos”, enfatizou. Ela ainda relatou preocupações com o avanço do agronegócio, especialmente da soja, sobre os assentamentos rurais, e com a sucessão rural - pontos que precisam ser discutidos com urgência, em sua opinião.


Acesse e leia o Atlas da Agricultura Familiar, 3ª ed.

 

COMUNICAÇÃO SOCIAL Campus Ceres